As atléticas universitárias na reaproximação das mulheres com o esporte

Ao traçar a relação das mulheres com o esporte, em uma pesquisa realizada no ano passado, descobrimos que, para a maioria das mulheres, sua prática se torna uma obrigação na vida adulta. Ele passa a ser visto como necessário apenas para manter a saúde em dia e o corpo magro, mas nunca para competição, socialização – e menos ainda para diversão. Um cenário oposto ao do primeiro contato na infância, quando o esporte é visto como uma maneira de se divertir (69%), aprender (46%) e fazer amizades (35%). Se as aulas de educação física, obrigatórias na infância, são facilitadoras na relação positiva com os esportes, na vida adulta, distante do ambiente escolar e com poucos incentivos sociais para continuar a prática, as mulheres têm menos oportunidades de jogar em grupo ou individualmente. Entretanto, para aquelas que ingressam na universidade, pode haver uma segunda chance de se relacionar com o esporte,…

7 atletas contemporâneas que são pioneiras

Uma breve pesquisa sobre pioneirismo nos esportes pode mostrar histórias inspiradoras de grandes atletas que, há muitos anos, criaram movimentos, modalidades e foram os primeiros a alcançar conquistas, abrindo caminho para muitos outros depois deles.   Infelizmente, a maioria dessas histórias têm homens como protagonistas. Seja pelos privilégios de gênero que eles carregam historicamente e que fazem toda a diferença no mundo dos esportes, ou pelo fato de que estes mesmos privilégios acabam dificultando a visibilidade e a participação feminina neste universo. Mas ainda há muito espaço para história e deixar um legado para as próximas gerações. Estamos vivendo em uma nova era, em que mais mulheres estão encontrando força e apoio para quebrar barreiras que ainda estão no caminho, tornando-se assim as novas pioneiras e inspirando mulheres a se jogar no mundo dos esportes. E aqui estão algumas para você se inspirar:   1. Misty Copeland Instagram: @mistyonpointe. Uma…

Além de estereótipos: a missão de levar a yoga para todos os corpos

A yoga mudou a vida de Vanessa Joda. Curou problemas físicos e psicológicos causados pelo estresse de um emprego que ela não amava, além de ajudá-la a recuperar uma autoestima há muito perdida em tentativas de se encaixar nos padrões de beleza socialmente impostos durante sua adolescência e início da vida adulta. Quando seu melhor amigo sugeriu a yoga para ajudá-la a escapar do estresse com o trabalho, Vanessa sempre resistia, argumentando que só pessoas magras praticam yoga. Até que, quando resolveu dar uma chance à atividade, perdeu completamente sua convicção ao descobrir que a yoga, na verdade, é para todos. Logo surgiu a vontade de compartilhar esse aprendizado. “Iniciei uma especialização para ser professora de yoga. Olha que engraçado, né? Para quem achava que não podia nem praticar yoga”, ri Vanessa, hoje dona de sua própria escola, Yoga Para Todos, além de dar aulas particulares e ser a representante…

6 fatos que fazem do rugby o esporte perfeito para as mulheres

Jogadoras da Seleção Feminina de Rugby ensinando novatas na modalidade – muitas delas jogando pela primeira vez – no aulão promovido pela OEC.  “Imagine um ambiente com mais de 20 mulheres. É fácil visualizar este grupo como sendo diverso? Bem, se este for um time de rugby, ficaria mais fácil afirmar que sim”, foi propondo esta reflexão que a rugby services manager, Marjorie Enya, iniciou, ao lado da jogadora Isadora Cerullo, uma conversa com a Olga Esporte Clube sobre os valores dessa modalidade que, apesar de ter chegado ao Brasil na mesma época que o futebol, só começou a se firmar por aqui depois dos anos 2000. Ambas conheceram o rugby na faculdade: Marjorie no curso de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) e Isadora, na Universidade Columbia, em Nova Iorque. Posteriormente, Marjorie se vinculou ao Spac, tradicional clube de São Paulo e, com o…

8 momentos em que você arrasou no treino

Em nossa pesquisa, realizada no início de 2016 a fim de desvendar a relação da mulher com a prática de atividades físicas, perguntamos de 1,5 mil mulheres: “Qual é a primeira palavra que vem à sua cabeça quando pensa em esporte?”. As respostas mais comuns entre a maioria foram os benefícios funcionais como saúde, bem-estar, equilíbrio, emagrecimento e um corpo bonito. À primeira vista não há nada de errado com as respostas, principalmente considerando que a prática de esportes podem mesmo trazer todos esses resultados. A questão é que sentimentos como competitividade – o que pode ser uma coisa boa – ou simplesmente o prazer ainda não fazem parte da realidade da maioria das mulheres. Depois da infância e antes da velhice, a relação com atividades físicas, em geral, são permeadas por um sentimento de culpa, obrigação e mecanicidade. Mas a Olga Esporte Clube está aqui justamente para mostrar que…

17 atletas que você devia seguir no Instagram em 2017

Já fez sua listinha de resoluções para esse ano? Muito provavelmente a prática de atividades físicas é um dos objetivos, que tal acompanhar e torcer para outras mulheres que quebram barreiras de gênero todos os dias para se inspirar e manter o foco? O instagram está repleto de atletas legais que dividem o seu dia a dia com os seguidores na rede social. Você vai ver que elas são gente com a gente e quem sabe encontrar motivação ao acompanhar seus treinos e conquistas para continuar se movimentando. Conheça elas: 1. Amanda Nunes, do MMA No Instagram: @amanda_leoa. https://www.instagram.com/p/BO2kL5zjzmk/?taken-by=amanda_leoa A lutadora baiana é a atual estrela do MMA no Brasil e no mundo, tendo derrotado a americana Ronda Roussey em apenas 48 segundos no ringue do UFC na luta para manter o posto de campeã do peso galo feminino e, é claro, o cinturão! No Instagram da Leoa, é possível…

Ela é sua adversária e não sua inimiga

De um lado, uma campeã consagrada, buscando conquistar o cinturão do peso-galo feminino no UFC e voltar ao topo do MMA, contando com o apoio da mídia. Do outro, uma campeã recente, uma promessa na modalidade, buscando defender seu cinturão e continuar ascendendo na competição. A americana Ronda Roussey e a brasileira Amanda Nunes foram competidoras e, consequentemente, adversárias no #UFC207, evento de encerramento do Ultimate Fighting Championship, o UFC, em 2016. A divulgação da luta até contou com a tradicional “encarada”, entre lutadoras. Mas isso não quer dizer que elas devam ser inimigas. Quando o juiz encerrou a luta e declarou vitória brasileira por nocaute técnico no ringue, Amanda comemorou como achou que devia: vestiu uma postura marrenta e rodou o octógono fazendo um gesto em que pedia silêncio, debochando de quem duvidou de seu desempenho contra a grande Ronda. Mas logo depois, numa atitude de fair play, a…

Saindo de férias? Leve o esporte com você

Sabemos que a rotina pode acabar dificultando a prática de esportes, principalmente com as obrigações da vida adulta, quando, para muitas mulheres, movimentar o corpo deixa de ser algo divertido para virar obrigação, como já mostramos aqui. Para quem vai tirar férias, depois de passar o ano todo tentando encaixar o basquete com as amigas na sua agenda ou saindo para correr em um horário que você nem gosta tanto assim por causa do trabalho, você merece aproveitar seu descanso sem tirar os exercícios físicos da jogada. Sabe como? Unindo a prática aos seus momentos de lazer e diversão – e seguindo essas dicas: 1. Acorde cedo, mas durma bem É legal aproveitar o máximo de seus dias, mas nem por isso você precisa perder o sono, especialmente se quiser aproveitar o seu tempo livre para estar em movimento. Acordar um pouco mais cedo vai te dar mais tempo para…

As atletas “rápidas demais” para serem consideradas mulheres

Quando a atleta sul-africana Caster Semenya, então com 18 anos, venceu a prova de atletismo de 800 metros rasos com uma vantagem maior que dois segundos em 2009, teve de enfrentar uma enxurrada de críticas e desconfianças sobre seu gênero. Pierre Weiss, secretário-geral da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), disse que ela não era “100% mulher”. Uma competidora a chamou de homem. Ela foi barrada das competições, interrogada e submetida a exames de sexo. Dois anos mais tarde, a IAAF lançou uma política restringindo os níveis de testosterona permitido em mulheres para até 10 nanomolares por litro, considerado pouco para homens, mas uma condição que muitas mulheres têm, a chamada hiperandrogenismo. Caso esse limite fosse superado, as atletas teriam que passar por alguns tratamentos invasivos e potencialmente arriscados, como tomar drogas supressoras de hormônios e se submeter a cirurgia para retirar glândulas que produzem…

Sonhe grande: Uma carta aberta de Serena Williams para jovens mulheres

Em uma carta aberta publicada no Instagram, a tenista americana Serena Williams falou sobre as barreiras de gênero que as mulheres enfrentam nos esportes e, principalmente, como combatê-las. Confira na íntegra o manifesto de uma das maiores atletas do mundo: Para todas as mulheres incríveis que se esforçam em busca de excelência, Quando eu estava crescendo, eu tinha um sonho. Eu tenho certeza que você também tinha um. Meu sonho não era como o de uma criança normal, meu sonho era ser a melhor jogadora de tênis do mundo. Não a melhor jogadora de tênis “feminino” do mundo. Eu tive o privilégio de ter uma família que apoiou meu sonho e me encorajou a segui-lo. Eu aprendi a não ter medo. Eu aprendi o quão importante é lutar por seu sonho e, principalmente, sonhar grande. Minha luta começou quando eu tinha três e eu não fiz uma pausa desde então.…

Navegar